Nós iremos defender o Curdistão do Sul em caso de um ataque turco

“Nós iremos defender o Curdistão do Sul em caso de um ataque turco”

Membro do PKK, Murat Karayilan, jurou que as guerrilhas irão defender o Curdistão do SUl em caso de um ataque ou invasão turca, nas vésperas do referendo de independência, o qual -ele disse – é um direito.

Karayilan comentou sobre as ameaças de ataque ou invasão contra o Curdistão do Sul e disse: “O povo do Curdistão tem o direito à autodeterminação, como todas as outras nações. Nosso povo no Curdistão do Sul precisa saber que, se a Turquia atacar seu solo, nós não ficaremos de lado só olhando.”

Falando na Rádio Denge Mezopotamya, o membro do Comitê Executivo da PKK, Karayilan, conversou sobre o referendo de independência no Curdistão do Sul, ameaças contra a nação curda e a conferência de unidade nacional.

Citando as ameaças feitas pela Turquia contra o Curdistão do Sul, Karayilan disse que o regime de Ancara está se preparando para uma invasão.

A respeito dos recentes combates entre a guerrilha curda e o exército turco na região de Barzan, onde grupos de Barzani se instalaram, Karayilan disse que três guerrilheiros perderam suas vidas e 5 estão desaparecidos, após a Força de Defesa Popular (Hêzên Parastina Gel – HPG) atacar tropas turcas que cruzaram a fronteira com o Curdistão do Sul.

Ele disse que a região de Barzan foi alvo do exército turco e que o HPG continuará a resistir e responder aos ataques.

Ninguém pode atacar os curdos se eles estiverem unidos

Mencionando as ameaças feitas pela Turquia, Karayilan disse: “enquanto povo curdo e políticos curdos, nós discutimos entre nós se o momento do referendo foi certo ou não, se o referendo é realmente a solução, como essa decisão será feita, etc. Nesse aspecto, nós podemos criticar uns aos outros. Esse é nosso problema, enquanto curdos. Mas atualmente há ataques, há ameaças e preparações para invasões. Os curdos têm o direito à autodeterminação como qualquer outra nação. Mas agora eles dizem ‘como vocês podem fazer algo assim? Como curdos você não podem fazer tais coisas.’ E eles atacam o Curdistão do Sul. A Turquia, especialmente, faz mais do que qualquer outra potência, como se o Curdistão do Sul não fosse parte do Iraque, mas parte da Turquia. Além disso, se a Turquia não agisse dessa forma, as reações do Irã e Iraque não seriam tão difíceis. A Turquia os provocou. Eles visitaram Teerã, conversaram com Abadi. Eles lideraram esse ataque. Você pensaria que Hewler e Kirkuk são deles e eles estão perdendo essas cidades.”

Nós avisamos o KDP sobre o AKP da Turquia

Karayilan criticou as relações do Partido Democrático Curdo (KDP) com a Justiça turca e o Partido de Desenvolvimento (AKP) por ignorarem os avisos do PKK e completou: “nós compartilhamos nossas opiniões sobre a realidade do Estado, do AKP, e da aliança AKP-MHP. Nós avisamos eles ‘vocês não conhecem o AKP e Erdogam como nós. Erdogan é o novo Saddam. Ele é ainda mais perigoso que Saddam. Porque é racista. Eles estão agindo como seus amigos para atrapalhar nossas relações e se aproveitarem de vocês. Eles se mostraram como inimigos da PKK mas eles são inimigos de todos os curdos. Eu pessoalmente disse isso a Masoud Barzani duas vezes. Mas infelizmente ele não me ouviu.”

Há um grande número de Forças Especiais Turcas no sul

Fazendo referência à presença das Forças Especiais Turcas no Curdistão do Sul, Karayilan apontou que quase metade dessas forças se encontram no Curdistão, como resultado da profunda relação entre a administração do Curdistão do Sul e Erdogan.

“Por isso a voz da Turquia parece tão alta. Eles dizem que essa região está sob controle deles. Você nunca deve confiar no seu inimigo. Não foi uma aproximação política boa para eles (a administração do Curdistão do Sul).

Karayilan também criticou o primeiro-ministro do Curdistão do Sul, Nechirvan Barzani, por escolher um tom muito submisso ao enviar mensagens à Turquia.

“Nechirvan (Barzani) fala como se estivesse implorando. Ele fala coisas como ‘nós nunca fomos uma ameaça para os interesses turco e não somos agora.’ A Turquia está segurando seu bastão no ar em cima de você e você fala dessa forma! É uma vergonha. Alguém chega na sua frente com um tanque e você vai implorar a ele. Se você dá um passo (o referendo de independência), você deve continuar”, ele disse.

Se a Turquia atacar o sul, nós não ficaremos de lado olhando

Ao se referir a um provável ataque turco contra o Curdistão do Sul, Karayilan disse que eles não ficarão olhando.

“Nós iremos defender nosso povo. Se esse processo continuar assim, esse fardo estará nos nossos ombros. Estamos cientes disso. Mas o resultado real disso tudo é que nós entendemos que a unidade nacional é o caminho certo.

Nós temos que ter uma estratégia curda em comum. Tem que haver uma estratégia comum para o Curdistão. Para isso acabar, seja como você chamar, um congresso, uma conferência, um workshop; o que for necessário, deve ser organizado. Se nós quisermos aproveitar as oportunidades no Oriente Médio, se nós quisermos que essa causa tenha sucesso, nós temos que ter uma estratégia em comum”, ele disse.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s