Em toda Rojava, se comemorou o dia internacional das mulheres

Fonte: Kurdistán América Latina

Tradução: Anelise Paiva

A Revolução em Rojava é conhecida mundialmente como a revolução das mulheres. A libertação e organização das mulheres, o auto-empoderamento, o autodesenvolvimento da ciência e o autogoverno estão no centro deste processo revolucionário. Portanto, esses avanços devem ser defendidos. E esta foi a mensagem central dos eventos em comemoração ao Dia Internacional de Luta da Mulher, que aconteceu no dia 8 de março na região autônoma do norte e leste da Síria.

Na cidade cristã de Til Temir, no Vale do Khabur, a Comandante das Unidades de Proteção à Mulher (YPJ), Sosin Afrin, disse: “Nosso lema continua o mesmo: estamos aqui para lutar pela liberdade e pela paz, e para defender o nosso povo, em primeiro lugar as nossas mulheres ”.

“Mulheres curdas, árabes, aramaicas, assírias, armênias e internacionalistas resistem em nossas fileiras”, disse Afrin. É uma luta contra o patriarcado e contra o sexismo por um modelo único de justiça de gênero. Inspiramos mulheres em todo o mundo e damos esperança a todas as que lutam por um mundo melhor. Muitas delas vieram aqui e se tornaram parte da revolução. Desta forma, inúmeras mulheres puderam conectar as nossas idéias de revolução com as lutas de seus países”.

No cantão de Shehba, as comemorações aconteceram em uma cidade perto de Ehdas. A região, perto de Aleppo, é o lar de dezenas de milhares de pessoas do cantão curdo de Afrin que foram deslocadas após a ocupação turca em 2018.Artistas amadoras, organizadas em uma associação local, abordaram a situação das mulheres após a invasão com imagens que foram mostradas em uma exposição no local do comício.

A celebração em Girkê Legê também contou com a presença de inúmeras mulheres de Çil Axa e Til Koçer. A comandante do YPJ, Rozelîn Azadî, citou o líder curdo Abdullah Öcalan em seu discurso: “A revolução no Curdistão é uma revolução feminina. A essência da libertação do povo do Curdistão é a libertação das mulheres”.Em Alepo, milhares de mujeres se reuniram no distrito Curdo de Sheikh Maqsoud (Şêxmeqsûd) para celebrar o 8 de março de forma solene e, sobre tudo, militante. Entre as presentes estava Emine Umer, co-presidenta do Consejo Democrático Sirio (MSD).

“Há violência física, violações e assassinatos, dia após dia, hora após hora –advirtiu Umer-. Há uma guerra contra as mulheres em todo o mundo e também na Síria. Em referência ao genocídio, falamos de feminicidio. Por isso, pedimos à todas as mulheres da Siria que se unam às nossas lutas e ampliem a luta pela liberdade das mulheres”.As celebraciones também se realizaram no bairro curdo de Ashrafiyah (Eşrefiyê).Os atos e ações pelo dia internacional de luta das mulheres também aconteceram nas cidades de Dirbêsiyê, Hesekê, Tirbespiyê, Til Hemis, Dêrik, Qamişlo, Amûdê, entre muitas outras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s